Aproximadamente 1.4 milhões de pessoas foram afetadas pela seca no sul de Madagascar. Estas alterações climáticas devem-se a um fenómeno conhecido como El Niño, uma anomalia na temperatura do oceano Pacífico.

Como resultado da crise causada pela seca, cerca de 850 mil pessoas sofrem de desnutrição. Com as plantações de milho, mandioca e arroz dizimadas pela ausência de chuva, os agricultores precisam de apoio urgente. Nas áreas mais afetadas, há quem sobreviva apenas com frutos selvagens enquanto que centenas de crianças são retiradas da escola para procurar trabalho ou comida. 

A época de plantações oferece uma pequena janela de oportunidade aos agricultores locais de restabelecer a produção agrícola. Milhares de famílias já lidam com a fome diariamente. Perder a próxima época de plantações vai resultar numa crise alimentar devastadora…

Mulher grávida recebe porção de "Super Cereal" distribuída por membro da PAM | WFP/Riana Ravoala

Mulher grávida recebe porção de “Super Cereal” distribuída por membro da PAM

PAM, FAO e IFAD unem-se

 

Em resposta a esta crise, a PAM (Programa Mundial de Alimentação ou WFP), FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) e IFAD (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola), três agências da ONU, unem forças para combater as consequências da seca.

Enquanto a FAO garante sementes de qualidade, resistentes à seca, para a próxima época de plantação, e uma bomba de extração de água para irrigação do solo, a IFAD investe na educação dos agricultores locais partilhando técnicas de produção mais eficientes, ajudando-os no acesso a mercados.

Como prevenção e tratamento para a ameaça de carência alimentar, a PAM expandiu o seu programa de nutrição a mais de 200 mil mulheres grávidas e a amamentar e crianças até aos 5 anos de idade, enquanto continua a dar assistência nas escolas a mais de 230 mil crianças com refeições diárias.

Texto: Rita Rosa | nº8499 | Fotografia: WFP/Riana Ravoala | © Todos os direitos reservados