Artigo – Turma A

A seca levou a consequências devastadoras em Madagáscar Foto:FAO

Seca duradoura causa fome em Madagáscar, ONU obrigada a intervir

A seca levou a consequências devastadoras em Madagáscar Foto:FAO

A seca levou a consequências devastadoras em Madagáscar Foto:FAO

 

A situação de algumas das regiões de Madagascar encontra-se extremamente precária, com perto de 850,000 pessoas a sofrer de insegurança alimentar causada pela seca que dura há quase 3 anos. Esta escassez de água torna o solo infértil e as plantações acabam por não dar alimento, levando a problemas de saúde, como malnutrição da população, e também problemas sociais – muitas pessoas vivem com menos de 2 dólares por dia.

Intervenção da ONU

O caminho é longo para a resolução deste problema mas a ONU tenta combatê-lo através das suas agências, para que haja soluções tanto a curto como a longo prazo. As nossas acções decorrem diariamente no terreno de várias formas, dependendo da agência.

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO)

Ajudando agricultores de pequena escala, distribuindo sementes resistentes à seca para que estes possam voltar à sua ocupação, e ainda repondo ferramentas que possam ter sido vendidas em troca de comida, a FAO tem como objectivo a sustentabilidade alimentar a longo prazo.

Programa Alimentar Mundial (WFP)

Ao mesmo tempo que efectua operações de alívio financeiro e alimentar para a quase totalidade das pessoas a viver em precariedade, ainda providencia refeições diárias a milhares de crianças em idade escolar e previne a malnutrição em mulheres grávidas e recentes mães – tal como à respectiva criança.

UNICEF

Focando-se mais nos direitos das crianças, garante escolas

operacionais de forma a evitar o abandono escolar, o trabalho infantil e os casamentos arranjados, fenómenos recorrentes neste tipo de situações, mas também rastreios de nutrição e água e saneamento para maior parte da população afectada.

Apesar do esforço conjunto das agências a emergência é grande e a situação grave, o que leva a uma operação dispendiosa a qual depende somente de donativos.

8569 – Diogo Vieira

1 milhão de pessoas sem alimento em Madagáscar

3 anos de secas deixaram agricultores incapazes de produzir

Nos últimos 3 anos, a região sul de Madagáscar tem sido afectada por graves secas. O fenómeno climático El Ninõ é o grande responsável pelo sucedido. De acordo com dados da FAO, a falta de chuvas na região Sul de Androy significou por si só um decréscimo de 80% na produção de milho em 2016, comparativamente ao ano anterior. Além deste alimento, também a produção de Mandioca caiu abruptamente.

Estima-se que este ano cerca de 1,4 milhões de pessoas não terão acesso a alimento neste país, onde 90% da população vive abaixo da linha internacional de pobreza.

A seca em Madagáscar deixou a população incapaz de produzir o seu próprio alimento. Foto: ©FAO

A seca em Madagáscar deixou a população incapaz de produzir o seu próprio alimento. Foto: ©FAO

 

A ONU encontra-se no terreno a combater os efeitos da seca.

O Programa Alimentar Mundial tem fornecido os alimentos para as populações mais necessitadas. Enquanto isso, a FAO forneceu a 850 mil pessoas sementes tolerantes à seca e bombas de água, para prepararem as novas plantações.

De olhos postos no futuro,  o IFAD, Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola, tem ainda ensinado técnicas de produção mais eficientes e melhores formas de acesso ao Mercado aos agricultores de Madagáscar.

Frederico Mendonça, 8526

10-28-2015Madagascar-drought

Há fome na seca de Madagáscar

 .

Em Madagáscar a seca demora a passar , já passaram 3 anos desde as últimas chuvas.

A agricultura e a pesca formam a economia do país e estão em causa, devido à seca provocada por El nino, o fenómeno climático.

Graças a El Nino a agricultura em Madagáscar deixou de ser possível , el nino traz com ele uma seca derivante de uma alteração climática, o aquecimento fora do normal das águas superficiais e sub-superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, este fenómeno por norma altera vários factores climáticos regionais e globais.

Os agricultores não conseguem combater as chuvas irregulares e a seca periódica  que comprometem a produção de alimentos no sul de Madagáscar.

Madagáscar é um dos países mais vulneráveis a desastres naturais e 1/4 da população vive em áreas propensas a ciclones , inundações ou secas .

É preciso alertar para o aumento dos preços, que continuam a afectar o poder de compra da população em geral e assim agravar a sua segurança alimentar de todos.

850 mil pessoas não conseguem atender as suas necessidades alimentares e precisam urgentemente de assistência humanitária.

MAG_20081204_WFP-Anna_Yla_Kauttu_0006_crop

Distribuição de refeições diárias nas escolas, pela FAO.

Três agências estão a ajudar a população de Madagáscar. a IFAD, a FAO e o WFP.

  • A IFAD facilitou o acesso a recursos e serviços e ensinou ao povo novas técnicas agrícolas, para assim como torná-los aptos para agirem conforme os seus direitos .
  • A FAO aumentou a produção de arroz e distribuição de sementes, pois a falta de chuvas diminuiu a produção de trigo e mandioca.
  • A WFP para esta altura de seca criou irrigações e pontos de abastecimento de água.

Diariamente há refeições nas escolas e a educação nutricional ás crianças.

É essencial apoiar Madagáscar para que as próximas plantações resultem.

 

 

 

 

Women and Child from south Madagascar - Photo from Unifeed Madagascar/Food in security

Madagáscar atingida por 3 anos de seca

Women and Child from south Madagascar - Photo from Unifeed Madagascar/Food in security

Mulher e Criança de Madagáscar – Foto de Unifeed Madagascar/Food in security.

Durante os últimos três anos Madagáscar foi atingida por uma das maiores secas testemunhadas até agora. Devido a isso vários agricultores necessitam desesperadamente de auxilio nos campos agrícolas antes da chegada das épocas de cultivo. De notar que devido à incapacidade de cultivo de alimentos básicos como milho e arroz, cerca de 1.4 milhões de pessoas estão sobre o risco de mal-nutrição.

Auxilio da ONU

Três agências da ONU – FAO, IFAD e a WFP juntaram-se para proporcionar todas as ajudas necessárias ao povo de Madagáscar.

A FAO através de ajuda agrícola a 850.000 pessoas incluindo 170.000 pequenas quintas nas zonas mais afetadas, pelo o fornecimento de sementes de qualidade controlada, testadas para aguentar secas e doenças, garantindo também a sua plantação antes das épocas de cultivo. Usando bombas de água para irrigação dos campos que não só torna o cultivo mais eficaz, como permite também a autossustentação da população através de uma maior produção de sementes.

A WFP Fornece comida a pelo menos 1 milhão de pessoas em apenas um mês através de um programa de nutrição alimentar em que o objetivo será a prevenção de casos de mal-nutrição que afetam atualmente mais de 200.000 mulheres grávidas e crianças. Por sua vez disponibilizam também refeições quentes a mais de 230.000 estudantes promovendo assim o ensino escolar.

Por ultimo a IFAD através do ensino de melhores técnicas de cultivo possibilita um maior cultivo por parte da população e por sua vez uma fácil inserção nos sectores dos mercados agrícolas, permitindo assim uma interligação entre as diferentes regiões agrícolas e um meio de comunicação para um auxilio mais eficaz da população.

ONU ajuda Madagáscar a segurar a população contra 3 anos de seca

População da vila de Tsarampioke, no Sul de Madagáscar. Photo:UNifeed

Uma seca com uma duração atual de 3 anos afeta o Sul de Madagáscar e, consequentemente a população precisa de ajuda urgente para tratar das colheitas a tempo das épocas de plantação (Dezembro e Janeiro) assim como para a sobrevivência da mesma contando com mulheres, crianças e mais necessitados.

Contra isto, 3 instituições pertencentes à ONU unem forças, sendo estas: a FAO, cujo projeto é proporcionar sementes de qualidade que consigam resistir a secas e que diminuam o risco de doenças. Enquanto isto, a WFP irá tratar de proporcionar comida aos mais necessitados, evitando assim malnutrições e tem ajudado atualmente cerca de um total de 1 milhão de pessoas de onde fazem parte mulheres grávidas, mães que amamentam, crianças com menos de 5 anos e, enquanto isto, trabalha também em proporcionar refeições diárias a alunos de escolas. A IFAD tem como objetivo ensinar os agricultores os métodos e técnicas mais eficazes de produção tal como maneiras que ajudaram os agricultores e distribuidores a aceder e alcançar o mercado com mais facilidade.

Calor arrasador em Madagascar
Foto: FAO/Luc Genot Texto: Carolina Meira

Fome extrema em Madagáscar

Madagáscar passa por período de fome acentuada devido a uma seca de 3 anos

Situação problemática

Madagáscar é um pais situado no Oceano Índico, que ocupa a maior ilha do continente africano. Devido á sua localização, este pais está  destinado a altas temperaturas.

Durante três anos este pais sofreu uma seca prejudicada pelo ambiente meteorológico e pelas baixas condições na produção agrícola. Esta situação deixou quase um milhão e meio de pessoas sem alimentos.

Para além disso, quem veio reforçar estas enormes secas foi o  El Niño, que potenciou o aumento de temperaturas e a consequente falta de chuvas. Mesmo com todos os esforços da população em cultivar, os efeitos do aquecimento global teimam em não deixar esta parte do globo desenvolver-se.

Nesta situação de fuga á morte, o presidente da associação de agricultura de Madagáscar pediu auxilio a quem o pudesse dar.

 

Calor arrasador em Madagascar Foto: FAO/Luc Genot Texto: Carolina Meira

Calor arrasador em Madagascar
Foto: FAO/Luc Genot Texto: Carolina Meira

 

Ajuda oferecida pela ONU

 

A ONU, em resposta ao pedido de auxílios do Presidente da Associação de Agricultura de Madagáscar, uniu tres agencias que em força se dirigiram ao pais em questão com o propósito de ajudar cerca de 850 000 pessoas (170 000 famílias de agricultores) nos distritos mais afectados.

 

FAO (Food and Agriculture Organization)

Na aldeia de Tsarampioke, a FAO ajudou o combate á seca ao fornecer aos agricultores sementes resistentes á seca e ás doenças, e uma bomba de água capaz de retirar água subterrânea com o objectivo de regar campos agricolas.

 

FIDA (Fundação Internacional de Desenvolvimento Agricola)

Esta fundação também pertencente á ONU esteve a ensinar técnicas de produção mais eficazes, bem como ajudar os agricultores a obterem um melhor acesso ao mercado.

 

PAM (Programa Alimentar Mundial)

O PAM contribuiu na prevenção da nutrição de mulheres grávidas, crianças, e mães em periodo de amamentação. Forneceu também refeições quentes diárias a crianças.

 

Saiba mais em http://www.unric.org/pt/

Artigo: Carolina Meira 8525

 

Milhões de pessoas afectadas em toda a região

Madagáscar precisa urgentemente de ajuda humanitária

     Madagáscar é uma das regiões do planeta que está a sofrer intensamente com a seca provocada pelas alterações climáticas.

Devido ao “El Niño”, o fenômeno meteorológico de maior impacto das últimas três décadas e com efeitos sobre o clima em todo o Mundo, regiões do Sul de África sofrem uma seca extrema e e uma desnutrição alimentar crónica.Estima-se que esta situação se vai manter nos próximos meses.

 

O Problema

A FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) alertou que o impacto da seca deve persistir em 2017, sendo a região do Sul de Madagáscar a mais afectada, e precisa urgentemente de ajuda humanitária. É essencial que o apoio e tratamento dos meios de subsistência comece imediatamente com o intuito de aproveitar plenamente as próximas temporadas de plantação.

Quase um milhão de crianças sofre de desnutrição aguda. Além disto a seca reduziu a produção geral de trigo e mandioca no país. Nesta situação de crise extrema, na falta de outros alimentos, há pessoas a se alimentarem de frutos dos cactos ou de sementes que iriam ser usadas em plantações

 

Milhões de pessoas afectadas em toda a região

Madagáscar tem sofrido uma das secas mais devastadoras dos últimos 35 anos. Foto: PAM, Petterik Wiggers

 

Ajudas Humanitárias, o apoio da ONU

A FAO e o Programa Alimentar Mundial, PAM, estão a trabalhar juntos para apoiar as famílias em situação de insegurança alimentar grave.

A FAO forneceu sementes resistentes e bombas de água aos agricultores, para estes irrigarem as suas plantações, enquanto o PAM forneceu alimentos a mais de 200 000 mulheres grávidas, lactantes e crianças. Além disto contribuiu diáriamente com refeições quentes diárias.

A FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola) também mostra o seu contributo, ensinando aos agricultores técnicas de produção mais eficientes, e também a terem melhor acesso aos mercados.

África Austral tem sofrido uma das secas mais devastadoras dos últimos 35 anos e milhões de pessoas em toda a região continuam a precisar de ajuda alimentar e humanitária.

 

Artigo: Pedro Bento, all rights reserved

1.5 Milhões de pessoas passam fome em Madagáscar

MADAGÁSCAR ESTÁ HÁ MAIS DE 3 ANOS NUMA GRAVE CRISE ALIMENTAR

     Situada no oceano Índico, Madagáscar é a maior ilha no continente Africano, e há mais de 3 anos que se encontra numa grave crise alimentar graças à seca climática constante, que vai secando e arrasando as plantações dos residentes. É na Agricultura o ponto mais preocupante, visto que 1,5 milhão de pessoas passam fome diariamente, devido às condições climatéricas.

     Para resolver este problema, 3 agências ligadas à ONU têm vindo a contribuir para o combate à fome e ajudar as famílias afectadas, através de apoio no ensino, na alimentação e na produção de alimentos.

A distribuição de dinheiro ajuda no combate à fome em Tsihombe, Madagascar 

Quem são então as organizações responsáveis e o que fazem em Madagáscar?

A FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) tem vindo a ajudar os agricultores locais, apoiando-os nas tarefas necessárias a nível agrícola e no investimento de sementes de alta qualidade, resistentes às secas que abalam a ilha. Foi também implementado aos agricultores, um novo método de trabalho de modo a ajudá-los a alcançar uma produção mais rápida e eficiente.

O PAM (Programa Alimentar Mundial), contribui com refeições diárias e é o maior responsável pela angariação de comida, para alimentar toda uma população em alto risco. A nível medicinal, estão a prevenir e tratar a desnutrição de mais de 200.000 mulheres grávidas e crianças.

A IFAD (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola) irá implementar toda a formação e aprendizagem necessária, a nível agrícola e comercial, para uma produção mais eficiente de modo a que as famílias mais vulneráveis possam aumentar os seus meus de sustentabilidade.

Não existe mais ajuda externa, nem jornais que o descrevam. 

Artigo – Tomás Saragaço | 8563

Photo: WFP/David

Distribuição de alimentos - Foto: World Food Programme

Salvem Madagáscar

 

Com a seca provocada pelas alterações climáticas e pelo fenómeno El Niño, Madagáscar é uma das regiões com maior dificuldade de subsistência alimentar, devendo esta situação manter-se. A seca prolonga-se por três anos consecutivos.

Atualmente, a fome já afeta 1,4 milhões de pessoas pela falta das produções de milho, mandioca e arroz no sul de Madagáscar as quais são fonte de subsistência do povo.

 

 

Distribuição de alimentos - Foto: World Food Programme

Distribuição de alimentos – Foto: World Food Programme

 

 

El Niño

 

O fenómeno El Niño atingiu o sul de Madagáscar, diminuindo ainda mais as chuvas. Para tentar contornar esta situação, uma em cada três pessoas, está a recorrer à venda de bens como terrenos, casas e a pedir esmola estando cada vez com menor capacidade de se recuperar. Em Outubro, quatro em cada dez famílias, já não tinham reservas de sementes para Novembro e Dezembro.

 

Ajuda precisa-se

 

Para combater esta crise, três agências da ONU, juntaram-se para ajudar os habitantes:

 

A FAO forneceu sementes tratadas, resistentes à seca e a doenças, assim como, bombas de água para extração subterrânea. Alem de responder à emergência, ensinam as comunidades a cuidar delas próprias, dando-lhes meios de produzir.

 

O IFAD ensina técnicas de produção mais eficientes na situação de seca e ajuda o que os agricultores tenham melhor acesso a mercados, como cooperativas em que trabalham juntos.

 

O WFP ajuda com a distribuição de alimentos e dinheiro. De forma a prevenir e tratar a desnutrição em cerca de 200.000 gravidas, lactantes e crianças com menos de cinco anos, está também a expandir o programa de nutrição. Cerca de 230.00 crianças em idade escolar são ajudadas com refeições quentes.

 

Escrito por Ângela Matias nº4188.

© Copyright . Todos os direitos reservados.

seca dificulta o cultivo de alimentos

Seca em Madagascar

El Niño

 

Os efeitos de seca extrema foram causados pelo fenómeno El Niño, que potenciou o aumento de temperaturas e a consequente falta de chuvas. Pois apesar dos esforços da população em cultivar, os efeitos do aquecimento global teimam em não deixar esta parte do globo desenvolver-se.

 

Seca no sul

 

 As dificuldades do cultivo

As dificuldades do cultivo

Nas regiões sul de Madagáscar a produção geral de trigo e mandioca reduziu 80% este ano comparando com os já baixíssimos níveis de 2015.Para escapar da miséria, um em cada três residentes do sul da ilha foram obrigados a tomar medidas desesperadas como pedir esmolas, vender a sua terra ou casa, ou migrar para outra região.

 

E a situação torna-se mais grave, quando 4 em cada 10 famílias já consumiram todas as suas sementes, não guardando nenhumas para plantar em novembro e dezembro.Isto faz com que cerca de 850 mil pessoas estejam neste momento com falta de alimentos.

 

 

Ajudar dá frutos

 

A  cooperação entre a (FAO) “Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação”, o () “Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola, e o o (WFP) “Programa Alimentar Mundial” tem vindo a minimizar as dificuldades sentidas na região, pelas vias da:

  • disponibilização de sementes resistentes à seca
  • ensino de formas de cultivo
  • formação de vendas de produtos agricolas
  • disponibilização de alimentos

 

Go to Top